Diversidade, em todos os sentidos

O que se pede de um grupo de pessoas que participa de um debate? Quando é descompromissado, um debate pode envolver qualquer pessoa, de qualquer formação ou grau de instrução. Aquele bate-papo de bar, de ponto de ônibus, onde cada um fala o que quer, sem o compromisso nenhum com a veracidade ou a coerência dos argumentos. Mas, o que se pede em um debate técnico, científico?

De acordo com o e zoólogo, etnólogo e evolucionista inglês, Richard Dawkins, nossa sociedade se acostumou, de maneira muito cordial, com que as visões religiosas teriam algum direito automático e indiscutível a uma posição respeitável.

“Se eu quiser que alguém respeite meus pontos de vista sobre política, ciência e arte, terei que conquistar esse respeito por meio da argumentação, da justificação, da eloqüência ou do conhecimento relevante, (…) Porque não há limites para as opiniões religiosas? Por que nós temos que respeitá-las pela simples razão de que elas são religiosas?”, questiona o cientista.

A questão é muito relevante para o atual momento brasileiro. Por que pastores, padres e outros religiosos têm suas opiniões (ou dogmas) religiosas e validadas em áreas como psicologia, psiquiatria, sociologia e direito? Por que eles têm o direito (arduamente conquistado por outros) de debater em temas como direito dos homossexuais, casamento gay, leis contra a homofobia, se eles não tem os conhecimentos exigidos para discutir sobre os assuntos?

Em relação à homossexualidade, as opiniões de religiosos são especialmente levadas a sério. Pastores oferecem ‘curas e conversões’ de orientação sexual, mesmo que a psicologia e a psiquiatria garantam (com embasamento científico) de que orientação sexual é um processo complexo e não é passível de alteração. A Organização Mundial de Saúde, os conselhos federais de Medicina e de Psicologia, além de outras diversas entidades, proíbem tratamentos para mudança de orientação sexual, por não existir NENHUM indício em relação da eficácia dos mesmos, e que eles podem causar danos psicológicos severos.

Por que pastores, padres e outros religiosos têm de participar de mesas redondas, debates e comissões legislativas sobre casamento e união civil entre pessoas do mesmo sexo, se o único argumento e conhecimento para negar estes direitos são bíblicos e teológicos. Se as igrejas não são a favor a uniões entre gays, simplesmente não as celebrem, já que cada religião tem o direito de seguir os dogmas que achem mais convenientes. Mas a crença nestes dogmas não torna um religioso mais competente para discutir direitos constitucionais do que um pedreiro, um mecânico ou um engenheiro químico.

Em um país onde o fundamentalismo e o proselitismo religioso crescem assustadoramente e se enraízam nos espaços de poder, este tipo de intervenção (ignorante, no meu ponto de vista) será cada vez mais freqüente, e precisa ser cada vez mais combatido. O direito das religiões termina quando começam os direitos humanos, e ninguém tem o direito de interferir na vida de outrem por conta de seus preceitos religiosos. A discussão teológica sobre homossexualidade e os direitos dos homossexuais são válidos, mas devem ser considerados APENAS no âmbito teológico, e não, no âmbito legal e político. Afinal, o Irã (graças a deus), é bem longe daqui.

Comentários em: "O divino direito de falar merda (ou Porque religiosos não entendem nada sobre gays)" (95)

  1. Preocupante é a massa populacional que pessoas como Silas Malafaia levam em nome da igreja e que essa igreja acaba se personificando como o próprio discurso. Essa busca infinita pelo o que é divino baseada em inscritos maus interpretados está transformando o mundo em um local persuasivo a discriminação, intolerância e preconceito. claro e objetivo o texto.

  2. Amancio Luna disse:

    Acredito que a Medicina deveria ser mais eloquente e precisa nas suas afirmações, e se propor a dar demonstrações de um profundo conhecimento do assunto, não se portando como uma instituição omissa e incentivado ainda mais a homofobia, ela deveria se propor a orientar, inundando a literatura cientíca médica com informações claras e objetivas, inclusive com fotos ilustrativas, pois, o homem ao ser gerado no ventre materno, ja nasce com os dois sexos, que vão se desenvolvendo paralelamente, até que, a um determinado momento, entre a setima/oitava semana mais ou menos, começam a se definir para um dos sexos, quando o feto vai ser feminino, começa o atrofiamento do sexo masculino e o desenvolvimento do feminio, toda mulher tem um pênis atrafiado, e para o masculino, o oposto, começa a cicatrização da vagina e o desenvolvimento do pênis, portanto, o homem carrega dentro de si o masculino e o feminino de forma mais abrandada, e a mulher carrega dentro de si o feminino e o masculino de forma mais abrandada, então, o mais maxo dos homens, um dia já foi mulher também, isso no útero da mãe.
    Portanto temos que acabar com essa ignorância a respeito desse assunto, e termos a obrigação de saber que, durante esse processo, um homem, mesmo vindo com um orgão masculino, nada lhe garante essa masculinidade, e sim, prevalecer a feminilidade sobre a masculinidade, então, essa pessoa por mais que os pais e essa sociedade religiosa e machista insistam e o eduquem para que que ele seja homem, ele será uma menina, muito embora tenha um negócio pendurado entre as pernas.

    • Julio disse:

      A Medicina não se envolve nesta questão pois eles não possuem argumentos racionais que comprovem a veracidade de que a homossexualidade é natural. Não existe literaturas científicas que explquem de forma convincente e concreto o assunto.Quanto a questão do feto dentro útero, segundo a explicação de minha professora de Biologia ( pois ainda não aprofundei no assunto), o feto possui uma estrutura sexual, mas nenhuma definição; não existe nem orgão masculino ou feminino, e também indicio de que há os dois.
      Se a comunidade científica como a medicina tivessem comprovações de que a homossexualidade é natural, com certeza eles se envolveriam e acabariam com a questão mas, não há e pelo que se estuda na faculdade, nem vai haver pois, é algo imcompatível com a a natureza(até o presente momento).

      • E se for artificial?
        E se for comportamento?
        E se for escolha?

        Merece menos direitos?

      • Fabio Cerqueira disse:

        Bem, a homossexualidade COMPROVADAMENTE existe em mais de 450 espécies de animais. Quer mais prova da naturalidade que isso?

  3. Quem escreveu esse texto é tão ignorante quanto os “religiosos” que critica. Saiba que a moral e ética precedem o conhecimento científico, pois este precisa de um fundamento para ser usado com justiça e sabedoria. Discuta primeiro estas questões filosóficas antes de criticar os outros.

    • Fabio Cerqueira disse:

      Quem somos nós pra discutir justiça e sabedoria? O que é justo para mim pode não ser para você. E a sabedoria é tão relativa quanto, se levar em conta que mundos são descobertos a cada dia.

    • João disse:

      desde de quando homossexualismo não é ético ou moral? A pessoa homossexual seja ela homem ou mulher, está apenas sendo o que ela realmente é. Se deus criou o homem a sua imagem e semelhança e deus não falha então, ele criou os homossexuais para eles serem do jeito que são.
      maldita hipocrisia religiosa se contradizendo cada vez mais.

    • Não há uma correlação direta entre moral e religiosidade. Na verdade, esse tipo de associação começou com religiões monoteístas.
      Em qualquer religião politeísta (como a grega) a moral é dissociada do âmbito moral. E isso os pastores também não têm conhecimento o bastante.

      A moral moderna constitui, em resumo, em ser livre e respeitar a liberdade do outro. E nisso cabe, também, a união e casamento homossexual.

  4. drica disse:

    você generalizou muito e acabou falando bobagem.
    art. 5º
    IV – é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;
    ou seja, nada de tentar calar a boca de alguém.

    • A ninguem está vedado o direito de falar nada.
      Loucos nos hospicios falam muita coisa: o problema é dar importância ao que essas pessoas (loucas) falam.

    • FATO!
      Ninguém quer proibir ninguem de falar nada. Um louco pode falar o que quiser, está no direito dele (exceto quando fere a liberdade do outro).
      Mas o problema é quando chamamos pessoas DESQUALIFICADAS para debater certos assuntos e suas opiniões desqualificadas são levadas a sério.

  5. Rodrigo disse:

    A instituições religiosas exercem influência sobre uma grande massa e por isso não podem ser excluídas, a participação de líderes religiosos em temas sociais são tidas como apenas um controle pelo governo.Um notável exemplo foi a participação da Igreja Católica na união estável gay, o voto dessa instituiçao não foi vetado, pois uma exclusão resultaria em uma comoção por parte dos fiéis, mas este voto teve menos eficiência do que os demais.
    Felizmente estamos sobre um país em que a Justiça continua marchando à frente com essa luta, e as portas fechadas aos homossexuais tendem a ser abertas.

  6. Denis disse:

    Vamos Pensar assim temos Duas Pessoas do Mesmo sexo em uma ilha transando 12 vezes por dia sem Preservativo nem qualquer tipo de proteção em uma Ilha remota, após 11 anos qnd voltamos o que temos??
    apenas 2 Pessoas cansadas , já se fossem de Sexo distinto teriamos possiveis frutos .

    • É, de fato vocês está certo. MAS, como o mundo não é uma ilha, e há 8 bilhões de pessoas na terra, podemos deixar os 90% de heterossexuais povoarem o planeta, enquanto os gays vivem suas vidas estéreis felizes.🙂

    • Thur disse:

      Nossa, q mula…kkkk… Se for assim, proiba também as pessoas estéreis de se relacionarem…

    • jovajavéocacete disse:

      Nossa, que comentario imbecil! Você realmente quer fingir pra si mesmo que o sexo tem como propósito somente a reprodução?!? Já pensou como seria se, a cada relação sexual de cada casal heterosexual no mundo, nascesse um “fruto” (“fruto”?!? Sério?!? Essa palavra é mais “religiosa” que filho ou filha?)?

      O sexo dá prazer, cria intimidade, cria relações interpessoais muito particulares e prazeirozas. E quem você pensa que é pra querer proibir a felicidade de outros?

      Putz, nem sei mais o que escrever, que comentário idiota…

    • R.B. disse:

      Nada digno de nota a ser respondido.

    • Cammy disse:

      Pôxa, cara, então coitadas das mulheres da Bíblia que eram estéreis =/

      Isabel, pobrezinha, que só concebeu com a graça de Deus, mas era estéril antes, pela sua lógica, hoje não mereceria ter direitos constitucionais e nem ter se casado? =/

      Proíbam os velhinhos de se relacionarem também!

    • se tivermos duas pessoas heterossexuais, ocasiona o que chamamos de superpopulação, o que é um problema gigantesco à natureza.

      aliás o mundo como um todo já sofre da infestação de humanos, somos 8 bilhões já, com expectativa de vida cada vez maior.

      casais estéreis deveriam ser contemplados, e não discriminados, como os crentinos fazem

    • Julia disse:

      Você responde dessa maneira,mas me diga se nessa ilha fosse 1 casal hétero estéril,seria a mesma situação dos gays,então pare com seu preconceito medíocre.

  7. Parabéns!
    Ótimo texto!

  8. Adilio Moisés disse:

    Acho que a Igreja deveria cuidar da vida dela… É óbvio que elas tem o direito de manifestação como reaza o tal artigo quinto, entretanto, como diz algum outro artigo da Constituição, ninguém é obrigado a se associar a nenhum sindicato ou afim. Se eles são contra os gays e coisa e tal, proíbam os gays de aderirem às suas causas e influenciem o comportamento dos gays que espontaneamente aderiram a uma religião, deixem os outros em paz. Igrejas são núcleos sociais e suas regras devem valer apenas para os integrantes do grupo o poder legislativo brasileiro deve ser soberano e levar em consideração diversos aspectos com muito mais peso que a opinião de pastores e padres lunáticos!

  9. Henrique disse:

    Os pastores deveriam relembrar seus seguidores que uma relação sexual sem o objetivo de ter filho entre um homem e uma mulher é tão pecado quanto uma relação homossexual.
    Talvez diminuísse o número de hipocrisias ditas por aí…

    • Henrique, o que você disse não tem nada a ver. Sou evangélico e nunca vi no texto bíblico tal ensinamento. Pelo contrário, o homem e a mulher devem ser relacionar prazeirosamente, não principalmente para se ter filhos, o qual é uma escolha da família. É cada uma…

  10. Este é um texto de utilidade pública e deve ser amplamente divulgado.

  11. Um texto lúcio, sensato e oportuno.

  12. Nuno Britto disse:

    Descobri seu blog devido ao imenso sucesso de sua ironia, obviamente logo a postei no face, e fiquei muito feliz de o ter descoberto. Precisamos de cabeças pensantes e altas vozes como contramão as tendências reacionárias e fundamentalistas que estão infestando esse país.
    E como diria Obama: “você é o cara!”

    • Opa, que é isso cara! Eu sou só um cara que tenta fazer diferente, pra ajudar quem precisa.
      Se tiver twitter me segue pra gente trocar idéia🙂

  13. Ana Ormond disse:

    “A discussão teológica sobre homossexualidade e os direitos dos homossexuais são válidos, mas devem ser considerados APENAS no âmbito teológico, e não, no âmbito legal e político. ”

    Resume tudo! Sensacional! Estado laico, por favor!

  14. Mariana Silva disse:

    Sem mais, o texto resume tudo!

  15. Caroline Ribeiro disse:

    Li alguns de seus textos e apesar de não concordar com suas ideias estava achando muito boa a sua argumentação. Isso pra ver como a gente aceita qualquer coisa quando não entende do assunto. Esse texto só mostra o quanto o você não entende de religião. Bastante, aliás.
    Uma coisa que deve ficar bem clara, é que devemos ter muito cuidado com o lugar (ou a pessoa) em que buscamos informações. Existem religiosos que falam muita besteira por aí. E depois, gostaria muito de saber o que é política pra você. Pelo que entendi do seu texto, você gostaria que religiosos não participassem de debates pelo simples fato de suas opiniões não terem valor nenhum “na política”. A política não se resume ao planalto (:O). O Homem é um animal político, já ouviu essa? A politica diz respeito ao bem comum. Toda atitude de se relacionar com o outro pode ser uma atitude política. E, se você já leu alguma coisa da bíblia, vai saber que todos os relatos da vida de Jesus, são relatos de atitudes políticas. Como dizer então que a igreja não está relacionada à politica? O problema é que no Brasil, a política é facilmente confundida com corrupção. Quase que inevitavelmente na verdade, infelizmente.
    A saber (sou católica, e tudo o que digo está relacionado a doutrina católica. Acredito que outras religiões tenham posições iguais ou parecidas, mas não posso falar por todas), quando a igreja toma uma posição, ela argumenta e divulga todos os porquês daquela decisão. E, acredite, não é simplismente ‘porque a biblia diz’ ou porque ‘Deus quis’. Se realmente te interessa, aconselho o site do Vaticano.
    A igreja formula sim muitas opiniões. Opiniões de uma massa populacional, como foi dito em algum comentário. E exatamente por esse motivo a opinião da igreja deve estar presente nas decisões legislativas. Ferir a opinião da igreja não é simplismente ignorar ou desrespeitar o papa, padres e bispos. Existe uma multidão que concorda com o que a igreja diz. E se não se leva em consideração a opinião dos religiosos espalhados pelo mundo inteiro, onde fica a democracia?

    “Pra quem acha que a Igreja Católica é um lugarzinho onde os padres falam “é porque Deus quis assim e pronto” aqui vai uma informação:” https://www.facebook.com/#!/photo.php?fbid=128985623875852&set=a.111655318942216.18355.100002932460434&type=1&theater
    Fica chato colar tudo aqui, então, segue o link! Essa página ajuda a esclarecer alguns pontos sobre a igreja.

    Não tenho a pretensão de interferir na sua opinião. O assunto é polêmico demais pra isso. Queria apenas deixar claro que existem coisas importantes que foram desconsideradas no momento em que esse texto foi escrito. Não concordar com o que a igreja diz é um direito de qualquer pessoa. Mas é sempre bom estarmos bem informados sobre o que vamos escrever, certo!? Como uma religiosa, me senti muito agredida pelo seu texto. E quero crer que essa não foi sua intenção. Afinal, rebeldia é a coisa mais ignorante que existe, né?!

    • O Estado deve ser laico, logo nenhuma organização de CUNHO Religioso pode ou deve interferir. A igreja deve se preocupar apenas com seus fiéis e não sair por ai dizendo o que as demais pessoas de orientação de crenças diferentes ou sem crenças alguma devam fazer… A igreja acredita ser bom não usar métodos contraceptivos? bom para ela… afinal precisa mesmo de lacaios ou seriam fieis? já nem sei. Se as pessoas chegaram a ideia que desejam viver com outra do mesmo sexo, problema delas… a Igreja instituição que perdura há quase dois mil anos (observando que o homossexualismo é tão antigo quanto a mais antiga das profissões) é direito delas. É curioso falar em democracia, quando esta vocifera contra o direito a liberdade individual das pessoas em escolherem como estas desejam viver a vida delas, no instante que elas não atentam contra ninguém, o que a igreja santa(?) tem de ver com isso??? Macaco olhe seu rabo, a história é bel explicita e os dias atuais também em mostrar que a igreja não passa de um ninho de cobras criminosas… Pedofilia a prática mais antiga dela perdura até os dias atuais…

  16. Gustavo disse:

    1- O conhecimento científico é um tipo de conhecimento entre outros e não há absolutamente nada que garanta que ele pode ser o árbitro da totalidade do que é real.

    2- Você nega a priori( leia-se, dogmaticamente) que os religiosos tenham conhecimentos sobre os assuntos mencionados, o que, evidentemente é uma mentira grossa, porque muitos religiosos são formados por faculdades comuns, então se o seu critério é diploma o assunto acaba aqui. Se você julga pela cientificidade, acabe com 90% de uma faculdade de psicologia porque essa é a quantidade do que é ensinado ali e não é cientifico. E novamente voce incorre no erro do item 1.

    3- Os argumentos não são só bíblicos e teológicos, você desconhece o que supostamente combate. Uma antropologia, uma filosofia( que o establishment academico não aceita, evidentemente) podem chegar aos mesmos resultados. A questão homossexual envolve várias areas do conhecimento e não só a psicologia/ psiquiatria, áreas essas que não se adequam a criterios cientificos pela própria natureza do objeto investigado. O problema é que você sequer admite a possibilidade desses conhecimentos serem válidos, algo que você jamais investigou.

    4- Os conselhos de psicologia não podem impedir que, se um homossexual quiser, por livre e espontanea vontade se livrar dessa condição( sem pensar se isso é possivel ou não) , ele procure alguem que o ajude nisso. Ou será que devemos proibir tudo o que supostamente causa “danos psicológicos graves”? Novamente você supõe que só os conhecimentos de um certo tipo garantem a verdade das coisas. Eu quero ver, você me provar cientificamente, que a ciência pode dizer a verdade sobre a realidade total.

    5- E não vão celebrar casamentos gays mesmo, o problema é quando os gays pedem, ai a coisa fica como? A constituição, a política são fundadas sobre outros tipos de conhecimento e não em si mesmos como você parece acreditar, portanto, a constituição quando declara que “todo ser humano tem direito a ter sua dignidade respeitada” por EX. ela precisa de mil areas de conhecimento que digam O QUE É ou QUEM É esse ser humano e que dignidade é essa. o Direito não flutua per se.

    6- O que é um ser humano? Uma abstração, quem vai te dizer o que é um ser humano ou não é? Esse ser abstrato não tem dignidade nenhuma, até porque eu nem sei o que é isso, já que você não a define, é o que um traço da natureza humana? Sabia que muitos psicologos acreditam que nem há “natureza humana”? E que é isso de dignidade? como SR Dawkins me fala em “dignidade” , se somos apensa fruto de genes egoistas? porque eu tenho que tratar como dignidade um excremento cósmico? Nem a filosofia, nem a psicologia, nem a biologia, NENHUMA CIENCIA tem a palavra definitiva sobre o que é a natureza humana, se é que há uma, como alguns psicologos, que voce tanto gosta de citar, colocam em xeque. Isso de seres humanos e dignidade é um palavrório pueril fundado num consenso social ridiculo, e se você usar o consenso como critério, imagine esse critério sendo aplicado na alemanha nazi.

    7- Religiosos tem que ser respeitados porque a religião não é uma parte da vida, ela envolve a sua totalidade, o ser mesmo da pessoa,desrespeitar a religião é desrespeitar a pessoa do religioso, o que é um ser humano, ou você acha que um religioso não é humano ? Caimos no mesmo problema. Religião , não tem, por sua própria constituição, o mesmo caráter de assuntos como politica, filosofia, etc

    8- O pais é fundamentalista, você ta olhando pro povão. povão não MANDA. e quem manda é religioso? a elite intelectual do Brasil é religiosa?

    Abraços.

    • Fabio Cerqueira disse:

      Só uma observação: Ciência não se define por falar a verdade, mas sim, além de outros aspectos, por possuir uma metodologia de pesquisa, mesmo que os resultados sejam ambíguos. O que religião não tem.

      • Marcos disse:

        Concordo que muitas das vezes os representantes religiosos não estão preparados para entrar em debates legislativos. Mas a opinião deles reflete a moral do povo mesmo que essa possua contradições. Assim, acho justo levarmos em consideração o que eles falam. Muitas vezes pode ser besteira para a maioria, mas para quem acredita naquela religião deve fazer sentido, como é o caso do preservativo para a igreja católica.
        Quanto a metodologia…
        Métodos de dedução estatísticos foram usados para observar fenômenos mediúnicos e dar base ao espiritismo.
        “Fé inabalável é somente aquela que pode encarar a razão, face a face, em todas as épocas da humanidade.”
        Allan Kardec

      • João disse:

        marcos, reflete apenas do povo fiel a esta igreja e não em um mode geral, e isto não pode e não deve mudar a vida das pessoas que não fazem parte desta igreja;

  17. DÉBORA disse:

    “Por que eles têm o direito (arduamente conquistado por outros) de debater em temas como direito dos homossexuais, casamento gay, leis contra a homofobia, se eles não tem os conhecimentos exigidos para discutir sobre os assuntos?”

    *Claro que pastores, padres e outros religiosos têm conhecimentos, mas conhecimentos baseados na crença deles, assim como os sociólogos, psicólogos, etnólogos têm conhecimentos que estão relacionados ao que eles também creem.

    Concordo que se o debate for técnico, científico, não há como se chegar a um consenso com os religiosos, pois são conhecimentos antagônicos. Um baseado em questões metafísicas e outro tecnicista.

    “Mas a crença nestes dogmas não torna um religioso mais competente para discutir direitos constitucionais do que um pedreiro, um mecânico ou um engenheiro químico.”

    *É, com isso eu concordo!! Os direitos constitucionais devem ser universais!

  18. Lafayette disse:

    Poxa, não sei se você – autor do blog – entendeu alguma coisa.

    As opiniões dos religiosos não devem ser respeitadas PORQUE são religiosas.
    Devem ser respeitadas PORQUE SÃO OPINIÕES.

    É, camarada, isso faz parte da democracia. Elas devem ser respeitadas como opiniões, da mesma forma que devem ser respeitadas as opiniões dos ateus, dos gays, dos defensores de direitos humanos e até mesmo dos torcedores do Vasco da Gama.

    Siga, então, seu próprio conselho, dado no texto. Se as opiniões dos religiosos te incomodam, saia de perto. Ou tem alguém obrigando você a sentar do lado de um pastor de igreja evangélica no sofá da sua casa?

    A mesma resposta aplica-se ao renomado Dr. Dawkins, que não é doutor em linguística, nem em língua inglesa, nem em direito. Ele, que é de um país desenvolvido, deveria saber disso até melhor que nós, porque o país de onde ele é tem mais tradição neste pensamento que expus acima.

    • Fabio Cerqueira disse:

      Bem, pelo que entendi do texto, ele não quis dizer que não se deve respeitar as opiniões dos religiosos, mas sim, que não se deve colocar essas opiniões acima de todas as outras, e que não se deve deixar influenciá-lo por elas.

  19. texto maravilhoso! adorei!

  20. glauco disse:

    boa

  21. Thalita disse:

    Muito bem escrito o texto, mas mal embasado. Por exemplo: “Por que nós temos que respeitá-las pela simples razão de que elas são religiosas?”, a resposta pra essa pergunta é não, não temos. Devemos respeitar as opiniões religiosas porque são sim bem argumentadas, justificadas e eloquentes. Razão pela qual não entendi o texto estar ilustrado com uma foto do Pr. Silas Malafaia, afinal ele é formado em psicologia, com ensino superior em teologia. Os religiosos tem sim capacidade técnica pra uma argumentação válida em um debate como esse, falar que os argumentos são só bíblicos e teológicos é muito superficial de sua parte, afinal assim como a crença nos dogmas religiosos não os torna competentes para uma discussão sobre os direitos constitucionais, ser um pedreiro, mecânico ou engenheiro químico homossexual também não. É óbvio que é um assunto de interesse á todos, portanto a exclusão dos religiosos só por representar uma opinião contrária acaba com o “debate” que você mesmo defende.

    • O que padeiros podem opinar sobre mecanica quantica?
      Cada um no seu quadrado. Quando a gente for conversar de ‘espiritualidade’ ou teologia, a gente chama os religiosos pro papo.

      • Thalita disse:

        Exato, estamos discutindo direitos constitucionais que é comum a todos os cidadãos sejam eles homosexuais ou religiosos. Nem uma dessas “características” os incapacita de tendo uma boa argumentação defender seu ponto de vista.

      • Gustavo disse:

        Deixe de ser ignorante, por favor. A religião não diz respeito só a espiritualidade, mas ao ser INTEGRAL do homem, a espiritualidade é uma parte dela( que a religião considera essencial, mas não a única e exclusiva). Você é um homem-massa, um escravo por natureza como dizia Aristóteles, não tem capacidade deliberativa nenhuma, só ouve e copia. A tática de vocês é repetir incansavelmente o bordão “homofóbico”( palavra que não faz sentido nenhum, se for seguir pela etimologia), até que as pessoas considerem qualquer opinião divergente uma agressão direta e assim paralisando o pensamento maduro, crítico e responsavel seja ele religioso ou não. Terrorismo LGBT é a modinha do momento, um bando de doutrinados que nem sabem de onde vem o que pensam e acham que estão fazendo uma reflexão séria e coerente.

      • Religioso vindo me dizer que o movimento LGBT é ‘doutrinado’. HAUHAUHAUHUHA

      • Levando seu argumento em consideração, religiosos tem, por serem os que tratam da espiritualidade, que é um aspecto ‘integral’ do homem, de discutir sobre qualquer assunto?

        Novamente: as opiniões divergente que levamos incluem lampadas na cara, facada nas costas, demissão sem motivo aparente apenas por sermos gays, expulsão de casa, vergonha, humilhação. Opinião divergente no Brasil tem muito disso, além de pastor em televisão dizendo que queremos uma “ditadura gay”, quando na verdade, queremos direitos EXATAMENTE iguais aos dos heterossexuais, sem por nem tirar.

        Dizer que ser gay é pecado, ok?
        Usar do poder financeiro que possui pra fazer lobby contra os direitos dos homossexuais, NÃO!

      • Fabio Cerqueira disse:

        Estou aqui me perguntando o que você estava procurando na internet que o fez parar aqui nesse blog.

  22. Cammy disse:

    Olá!

    Bem, eu sou cristã e sou heterossexual e, ainda assim, sinto vergonha alheia toda vez que vejo um religioso (isso incluso nosso “líder” espiritual) falando uma besteira homofóbica dessas. Ás vezes eu me pergunto qual a bíblia que todo mundo lê e tenho certeza que não é a mesma que eu – que, ainda que escrita por homens já que Deus não desceu aqui e escreveu nada, e traduzida por tanto tempo e de tantas maneiras que já perdeu completamente o sentido original, ainda assim o Novo Testamento só fala de amar ao próximo como a si mesmo, nem que ele seja assassino ou prostituta ou, pior ainda, cobrador de impostos.

    E daí aparece gente esfregando palavras soltas do Velho Testamento e dizendo que Deus condena e que todo mundo vai pro inferno. Primeiro que o Velho Testamento é uma loucura e, segundo ele, você pode até vender sua filha como escrava e todo mundo que comer um sanduíche de bacon já tá condenado ao caldeirão fervente do capeta, né? Segundo que eu tenho absoluta certeza que Deus condena muito mais essa gente cheia de ódio no coração e intolerância, que se dizem tão religiosos e são tão preconceituosos.

    Afinal, é uma baita duma ignorância e hipocrisia dizer que Deus condena e que homossexualismo tem cura quando, bem, o gay nasce gay – porque tenho certeza que se ele pudesse escolher entre viver num mundo idiota desses cheio de gente ignorante e homofóbica, ele ia escolher o mais fácil e o “normal” (entre aspas porque, no fim das contas, isso de normalidade é só o reflexo do maior número, né?) do que sofrer a vida inteira pela ignorância das pessoas.

    Não sei se alguma coisa do que eu escrevi faz sentido, provavelmente não faça, só queria dizer que acho ridículo o que as pessoas fazem em nome de Deus. Porque são as pessoas que fazem a religião, no final das contas e uma simples pesquisa na história da religião revela todas as falhas dela. Pega o catolicismo de exemplo: nem faz muito tempo, queimar bruxas blasfemas era dever do bom cidadão cristão, e hoje, olha que situação, a vida é tão importante que se masturbar e deixar os espermatozoides rolarem para o ralo já é pecado.

    Todo esse texto enorme que eu escrevi só pra dizer que homossexualismo não tem que só ser respeitado, tem que ser visto como normal, porque é. E sobre casamento, a Lei deve sim reconhecer o casamento homossexual, deve garantir a eles os direitos que ele têm, porque essa é a função da lei, regular a vida das pessoas, não ser a régua de religiosos. No dia em que as pessoas se tocarem que isso não é opção coisíssima nenhuma, talvez todos os casais sejam respeitados e aceitados como tal e, mais ainda, vistos como normalidade, organicamente parte da sociedade.

    E, nossa, escrevi um monte e não falei quase coisa alguma, sorry!

    • Boa, Cammy!
      Se a gente tivesse mais cristãos que respeitassem os direitos dos outros como você, nossa luta por direitos civis seria masi fácil.🙂

      • Cammy disse:

        Valeu, William =)

        Talvez isso porque eu sou advogada e acho uma tremenda idiotice que, num estado laico, as vozes religiosas sejam ouvidas por, bem, serem só isso, vozes religiosas. Lei é Lei, ela tem que refletir a sociedade, regularizar a situação das pessoas e não fingir que elas não existem. Por isso sou completamente a favor do casamento gay, do direito que vocês tem de serem reconhecidos como um casal perante a lei e poder usufruir dos mesmos direitos que um casal hetero. Gays pagam impostos, porque não podem escrever o companheiro como dependente perante um monte de coisas, até no INSS? (que, apesar de tudo, é o órgão mais esclarecido, reconhecendo a união homoafetiva para fins de pensão por morte há muito tempo antes da decisão do STF).

        Enfim, eu tenho vergonha dos meus colegas de cristandade porque eles não sabem que falam e nem procuram saber. Torço pra que a luta dos gays seja reconhecida (e torço até mais pelos direitos civis, que são imensamente importantes e não devem ser deixados de lado. Mais do que criminalizar os homofóbicos, deve ser reconhecido os direitos dos homossexuais, isso sim.) e sei que não ajuda muito, mas sou uma das pessoas que trabalha com a Lei e que defende essa causa, atuando positivamente e efetivamente. Tem pessoas esclarecidas nesse meio, o que me faz ter esperança pela humanidade, espero que um dia elas ultrapassem o número de gente ignorante.

        Lá vou eu falando demais de novo😄

    • Kiko disse:

      Cammy… adorei seu ponto de vista… sou ateu tb… mas não tenho nada contra religiosos (apesar de ter contra os dogmas da maioria das religiões), desde q esses religiosos me respeitem… infelizmente, o meu maior medo, refletido no texto do Willian é o de termos no Brasil o q já rola nos estados tradicionalistas dos EUA, o talebã cristão… o estado deve cuidar de questões referentes ao estado, se mantendo laico e defendendo todos os seus cidadãos e seus direitos… ética e religião não são palavras sinônimas… e existe muita ética fora da religião tb… sem generalizações… nos fim, só tenho algo a lhe perguntar: quer casar comigo? eh, eh

      Willian, continue sua luta, velho… estamos juntos pelos direitos das pessoas como pessoas…

  23. Como já diria o mestre Arnaldo Antunes, “todo mundo tem direito à vida
    todo mundo tem direito igual”.

  24. Os pastores participam da discussão desses direitos por um motivo simples: são políticos que receberam votos. Os votos foram obtidos junto aos fiéis das Igrejas, em campanha política aberta de captação de eleitorado. Isso é justo? Claro que não! O povo vota em qualquer um que pareça vendedor de carros usados e que use o nome de Jesus para ganhar alguns tostões. Infelizmente, os evangélicos neopentecostais veem dominando o eleitorado e ganhando mais poder no Congresso. E essa gente nem conhece teologia de verdade.Eles sequer são capazes de citar qualquer uma das teses de Lutero,mas gritam certos versículos bíblicos que lhes convém, e isso que faz com que eles ganhem votos. Não são só os homossexuais que são “inimigos” para eles, os católicos (adoradores de ídolos que cometem o pecado da “marinolatria”), os espíritas, ateus e umbandistas também.

  25. Rodrigo disse:

    Bom, confesso que não li os comentários anteriores. Minha crítica vai direto para o texto que escreveu. Me desculpe mais devo descordar de alguns pontos. Tas como,
    “Por que pastores, padres e outros religiosos têm suas opiniões (ou dogmas) religiosas e validadas em áreas como psicologia, psiquiatria, sociologia e direito? Por que eles têm o direito (arduamente conquistado por outros) de debater em temas como direito dos homossexuais, casamento gay, leis contra a homofobia, se eles não tem os conhecimentos exigidos para discutir sobre os assuntos?”
    Que absurdo é esse, você escreveu isso sério?! Como assim eles não tem conhecimentos exigidos? Falo de cadeira,(a respeito da igreja católica) os religiosos e padres que trabalham com esses assuntos são formados em universidades reconhecidas e até doutorados. tive o honra de conhecer muitos, ótimos intelectuais que tratam desses assuntos. Formados em Direito, Psicologia, doutores em história. Você está completamente equivocado companheiro. E A igreja já parou de combater esses assuntos apenas com dogmas. E sim com estudos fundamentados. Você deveria parar de ficar nessa superficialidade e se aprofundar no assunto. Você reclama que a igreja se intromete nos assuntos do casamento gay. Quando O CASAMENTO FOI CRIADO PELA PRÓPRIA. Ela tem sim o direito de opinar. Além do que, direito. O que seria do direito se não fosse a igreja. Direitos humanos, tudo com fundamentos eclesiásticos, Falo com o conhecimento de um estudante de história de uma universidade federal. Não estou criticando apenas acho que seus textos entram na cabeça das pessoas que não tem o devido conhecimento sobre o assunto. desculpe qualquer coisa =)

    • Os padres e pastores tem experiencia em direito constitucional?
      Me mostra UM!
      O debate é sobre DIREITOS HUMANOS no ambito dos DIREITOS CIVIS!
      Os padres tem experiencia nisso?
      Diploma em teologia e filosofia, obrigado, mas não nesse debate.

      • Rodrigo disse:

        KKKKKKKKKKKK…sim diplomas. EM universidades federais. Doutorados em Direito e História. Está vendo como você não sabe direito das coisas e está equivocado. Um padre ou religioso, pode se formar além desses cursos que vocês sitou. Deveria estudar camarada ;D

      • Fabio Cerqueira disse:

        Eu estudo Direito e tenho professores muito religiosos. Só que todos eles são seguidores do Naturalismo Jurídico, ou seja, acreditam que o Direito deve provir da “naturalidade” do homem. O problema é que eles acham que a bília diz o que é natural e o que não é. Eles vivem na realidade de Constantino, e não na nossa. Por isso, concordo que eles não tem conhecimento para discutir uma realidade social e atual.

    • Fabio Cerqueira disse:

      Ui, ele é de uma Universidade Federal!!!

      Saiba que o casamento civil não foi criado pela igreja não. Foi criado pela Constituição. É dele que o texto fala. É ele que os homossexuais querem.

      • Rodrigo disse:

        Foi baseado no religioso companheiro. Qual veio primeiro?

      • Fabio Cerqueira disse:

        Sim. Com certeza a sua religião o roubou de outra. Você já deve ter lido “A Cidade Antiga”. Mas com certeza, não é o seu casamento que os homossexuais querem. Eles querem aquele positivado na Constituição Federal e que garante vários direitos aos cônjuges. Direito que deve ser extendido a toda população, e não apenas aos heterossexuais.

      • Rodrigo disse:

        “A Cidade Antiga” conheço, mas deve saber que existem varias correntes sobre o determinado assunto. Não pode tirar esse livro como verdade absoluta, qualquer crítico deve saber disso. Mas voltando ao casamento, eu ja estudei sobre a história do mesmo, e infelizmente não foi uma cópia como você disse. Bem resumidamente para você, o casamento nem era tão bem visto pela igreja, o melhor estado seria o de celibato, mas como (obviamente) a maioria das pessoas não seguem esse estado, a igreja tentou oficializar as uniões que antes eram apenas de pessoas que se juntavam e iam morar juntas para uma união oficial e sacramentada pela igreja. etc etc… não foi uma cópia, pode procurar. E voltando, percebendo que deve conhecer das leis. claramente sendo um casamento no civil a igreja não deveria se meter, mas como foi ela quem criou, e o estado apenas tornou laico, deve saber q a mesma ainda exerce influencia sobre o tal. Podendo ainda atrapalhar as coisas para os homoafetivos. Então ainda terão muita dor de cabeça com isso.Tenho nada contra os gays, apenas estou esclarecendo as coisas ;D

      • Fabio Cerqueira disse:

        Calma ai… Deixa eu ver se entendi…. Você está dizendo que a igreja tem o direito de interferir nas leis de um Estado laico? Nunca houvi tamanha babaquice na minha vida!!! Você sabe o que quer dizer laico? Você sabe o que quer dizer soberania? E ainda diz que está esclarecendo as coisas?

        E outra coisa. Se a “teoria” da Cidade Antiga” é contestada até hoje por outras correntes (que defendem a igreja católica, é claro) e ainda não perdeu o status de leitura obrigatória, é porque tem muito embasamento.

      • Rodrigo disse:

        claro que tem o direito, cara! se não, nem estaríamos tendo essa conversa,né! Putz! Não vou ficar aqui sendo insultado por alguém que não tenha esclarecimento sobre o assunto. Depois q você for estudar história vem e conversa cmg. Quando encontrar uma corrente que não é contestada me avisa tambem. E outra, esse livro é uma leitura obrigatória para universidades federais, que vão contra aos ensinamentos da igreja. VOcê deve saber disso, e isso não é motivo para que a visão da igreja esteja errada. Posso te dizer que já li asneiras na faculdade e são leituras obrigatórias. Isso só depende da correnta da universidade. Volta quando você tiver um argumento suficientemente pertinente ;D

      • Fabio Cerqueira disse:

        1. A discussão aqui começou justamente pelo contrário. Porque o igreja NÃO tem tal direito (leia o post novamente)

        2. Roubando a fala de um amigo acima, A homossexualidade é muito mais antiga que sua religião, seguindo a sua linha de raciocínio, nós homossexuais que deveríamos dar pitaco na vida dos religiosos, e não o contrário.

        3. Eu estudo em uma Pontifícia Universidade Católica. Você sabe o que é isso? É uma Universidade oficializada pelo Vaticano. E o livro é leitura obrigatória para a matéria mais importante do curso.

  26. Leão disse:

    Estão com raiva porque não suportam a verdade,Deus fez o homem e a mulher.
    Preciso dizer mais algo?!
    Ahh…sou livre pra manifestar o que penso.

    • Se deus fez ou não fez, problema dele.
      Nem todo mundo acredita nisso, e nem todo mundo precisa viver sob a batuta de um credo ou outro.
      Fundamentalismo só fode a vida das pessoas.

    • Fabio Cerqueira disse:

      Suportar qual verdade? A sua? Porque na minha não existe Deus.

  27. EnioATM disse:

    Gostei mais do texto “10 motivos para NÃO aprovar o casamento gay no Brasil”.
    Há um GRANDE problema em defender o tema se agarrando principalmente ao “argumento cientificista”.
    Primeiro por que cientistas mudam de “opinião”, ou de forma menos pejorativa, o conhecimento científico se desenvolve e posturas que hoje são verdadeiras amanha não são mais. Plutão foi e já deixou de ser planeta. Átomos já foram partículas indivisíveis. Ovo já fez e deixou de fazer mal a saúde. Acreditar que os princípios bíblicos tem menos autoridade que a “comunidade científica” é um direito seu e eu respeito. Mas isso não deve ser pregado como verdade.
    Se ter um diploma é tão importante para debater um tema, talvez o Pr. Silas Malafaia tenha “autoridade científica” para discutir questões ligadas a psicologia, pois também é graduado neste curso. E talvez quem queira discutir princípios bíblicos ou práticas cristãs devesse antes se graduar, no mínimo, em teologia.

    • Em nenhum momento Malafaia fala como psicologo, pois se o fizesse, perderia o direito de o ser, já que o Conselho Federal de Psicologia PROIBE tratamentos de ‘reorientação sexual’, já que ser gay não é disturbio ou doença.

      Eu não quero discutir principios cristão: eu não dou a MINIMA pra eles.
      Eu quero ser respeitado no meu direito de ateu e homossexual, em não ser cerceado de direitos por conta de fundamentalismo religioso.
      Não me importa em NADA se ser gay é pecado ou não, o que eu quero é casamento civil, direito de adotar, e de ser feliz, coisa que não tem NADA a ver com religião.

      • EnioATM disse:

        calma Willian, tb ñ acho certo impor a prática de um grupo por motivos “religiosos” sobre toda uma comunidade…
        Tipo, se eu sou cristão e vivo num país judeu eu espero ter o direito de comer bacon embora isso seja pecado p/ eles…
        Mas ñ nego o direito deles, sendo nutricionistas ou ñ, de considerar impuro o bacon.
        Só acho q o fato de alguém estar vinculado a algum conselho federal ñ o torna um proficional melhor ou mais capaz… E depreciar alguém por isso, deprecia o argumento.
        E sim, se gays querem casar e adotar filhos, q a constituição dê esse direito.
        Se há igrejas que não apoiam essa união, que elas tenham o direito de não celebra-las, e que isso não seja um crime.

      • O problema é que eles não querem apenas criticar homossexuais, mas usam seus deputados, senadores e pastores para lutar contra os direitos dos homossexuais. Dizer que é pecado pode, agora, pra que lugar CONTRA os direitos das pessoas?

      • EnioATM disse:

        podemos pesquisar mais sobre o assunto, mas até onde eu sei, o Pr. Silas Malafaia lutou contra a criminalização da homofobia, ou seja, iria preso alguém que se manifestasse contra essa prática. Estaríamos tirando o farto de repressão sobre os gays e colocando sobre os cristãs, por exemplo.
        Acredito q como cristão, devemos defender nossos direitos morais. Quanto aos direitos legais já é outra história realmente…
        E depois, religiosos falando mal de gays e gays falando mal de religiosos ñ ajuda em nada numa sociedade mais justa e igualitária.

      • Quando criminalizamos o racismo, tiramos o fardo dos negros e colocamos em quem os discriminava, certo?
        E isso não é… JUSTO?

  28. Vinicius disse:

    ”E sobre casamento, a Lei deve sim reconhecer o casamento homossexual, deve garantir a eles os direitos que ele têm, porque essa é a função da lei, regular a vida das pessoas, não ser a régua de religiosos. No dia em que as pessoas se tocarem que isso não é opção coisíssima nenhuma, talvez todos os casais sejam respeitados e aceitados como tal e, mais ainda, vistos como normalidade, organicamente parte da sociedade.”

    Já ia me preparar pra escrever algumas coisas mas acho que não é mais necessário, Cammy tirou as palavras da minha boca! Se fosse uma opção, seria muita burrice uma pessoa escolher ser homossexual no mundo em que vivemos…é uma conclusão lógica! As pessoas perderam o verdadeiro significado das coisas, o significado de Deus, os valores de inverteram! Deus não significa mais amor e igualdade e compreensão e respeito como antes, passou a ser uma espécie de ditador de regras…

  29. E Jesus cansou de falar: Quem tem ouvidos, que OUÇAM!
    Ser um servo-de-Deus, Cristão, Crente, ou mesmo, alguém que acredita em Deus e respeita Ele como Soberano, deverá ouvir seus conselhos (no mínimo) e verá que fazer as suas vontades é uma coisa boa. A igreja deve estar aberta a qualquer tipo de pessoa: certinhos, playboys, pobres, heteros, homos, ladrão, trans, casados, descasados, e tudo mais. Pois Jesus veio para os doentes. E o homem, é um ser doente, e que precisa ser renascido em Cristo. Feito isso meus amados, verão o porque de suas verdades serem postas como BOAS, PERFEITAS e AGRADÁVEIS!
    Deus vos abençoe.

    • Sem ofensa? Doente é a put* que te pariu.
      Vai pregar no teu templo e deixe quem não quer ouvir falar disso em paz, ok?

      • Fabio Cerqueira disse:

        Caro William, não perca a linha não. Se o blog está incomodando é porque está atingindo seu objetivo e está chegando ao conhecimento das mais variadas pessoas.

      • Tu tá certo, mas ouvir que a gente é doente é foda, cara.

    • EnioATM disse:

      gostei do q vc escreveu. e entendo q soa agressivo “o homem é doente”. Mas não acredito que ele escreveu de forma pejorativa para um grupo específico, ele quis dizer q o homem é imperfeito, todos somos e temos limitações, e precisamos aprender a nos relacionar com isso. Se as igrejas cristãs realmente seguissem o maior mandamento de Jesus (amar o próximo como a si mesmo), certamente mudaria a forma como o mundo vê a igreja, e se o mundo seguisse a continuação desse mandamento (amar a Deus sobre todas as coisas), certamente mudaria a forma como os cristãos vêm o mundo.

  30. Thiago Almeida disse:

    Pessoal … acho que o problema todo continua sendo a questão de respeito em relação as diferentes óticas, conheço religiosos que tem doutorados sim em faculdades conceituadas, mas nem por isso deixam de ter a influencia da igreja que acaba limitando em certos aspectos a linha de raciocínio … seria burrice da minha parte também falar que todo gay está apto pra discutir o assunto, por que infelizmente o universo homossexual conta com uma parcela considerável de seus componentes na pura futilidade… e aqui eu falo como gay e como religioso, dá pra conciliar as duas ideias se excluirmos as extremidades e imaginar os direitos de um cidadão como algo neutro, independente de genero, sexualidade, cor de pele e outras segmentações … isso é o principio da isonomia minha gente presente no artigo 5º da nossa constituição federal E QUE JÁ ERA USADO NA GRÉCIA ANTIGA … ou seja , bem antes da biblia … não dá pra você levar a biblia como verdade absoluta, assim como não podemos inutilizar a opnião dos religiosos , afinal de contas são opiniões validas (na pior das hipóteses, podemos contesta-las, mas não desconsiderá-las) … espero que tenha contribuido com algo valido para o debate. sld

  31. Bóris disse:

    Só sei de uma coisa. Nasci com um pênis pregado em meu corpo. Na certa Deus me fez assim pra um propósito, penetrar numa vagina. De outra forma eu teria nascido com um supusitório no lugar do pênis.

    • Você acredita nisso?
      Leve isso pra SUA vida, e deixe quem quiser viver de forma diferente, viver em paz, camarada.
      Sou ateu e gay, e pra mim, deus não fez NENHUM proposito, porque, pra mim, ele NÃO existe.

      • João disse:

        Debater com um crente é como jogar xadrez com um pombo… ele caga no tabuleiro, derruba as peças e sai voando cantando vitória. (Palavras do leitor Marcelo Dbd)
        retirei isso de uma pagina no facebook mas se aplica muito bem aqui.
        sou hetero, mas tenho grandes amigos homossexuais se não meus melhores amigos, e tente ofender um deles perto de mim, só por que sou hetero não preciso ser preconceituoso e impedir a felicidade de outras pessoas

    • Fabio Cerqueira disse:

      Então pare de bater punheta!!!

  32. PatríciaQ disse:

    Delluca, admiro muito sua proposta de polemizar e de se manter alvo de tantas agressividades (isto é uma corajosa opção). Parabéns pela tentativa de ampliar os horizontes democráticos da discussão!!!! Apenas tentando contribuir: quem será que elegeu os políticos religiosos ou ateus? afinal, a eleição se dá pela identidade do povo com o seu governante e com as propostas que defendem (inclusive as de cunho teológico e morais)… acredito em Deus e nem me imagino sem Ele em minha vida, MASSSSSS moral, ética e respeito ultrapassam qualquer inspiração do Divino! Diversidade é da natureza humana. Ponto. E a Constituição nos garante tal direito… ou menos a estabelece como princípio… Educação de cidadania já! E creio que todas as opções ideológicas deveriam dizer respeito às MINHAS individuais escolhas… sou contra abortar (eu), conheço as implicações religiosas desta minha opção MAS como opção, acredito sinceramente que o livre arbítrio também é Divino e Constitucional! Cada um sabe as punições e consequências de seus atos…

  33. Fabio Cerqueira disse:

    É Escolha?

  34. Fabio Cerqueira disse:

  35. […] na imagem ou aqui, nerdão! Rate this: Conte as boas novas:TwitterFacebookGostar disso:GostoSeja o primeiro a gostar […]

  36. galhardo disse:

    Cara deixa silas malafaia em paz e vai cuidar da sua opção, se o cara não gosta de gay e opção dele. Vocês não gostam de liberdade? Então não fique tentando enfiar na cabeça de alguem etero que não gosta de sodomia dizendo que ser gay e legal. A verdade e que ninguem ta nem ai pra isso, não tem ninguem caçando gays com garfos e toxas no meio da rua vocês são livres pra ficar com quem quiserem e ninguem se importa e muito menos fica caçando homosexuais pra matar por ai. Na boa vamos nos preocupar com educação hospitais primeiro, por que a coisa ta mais braba do que vocês imaginam estar dentro da bolha colorida de vocês.

    • Quem decide sobre o que eu devo ou não me preocupar sou eu, camarada, mas obrigado pela sugestão.

      Sobre ‘caçar gays’, o Brasil é o país com o maior número de assassinatos homofóbicos por dia, mas o Google pode te ajudar neste processo de descoberta.

      Quanto ao Silas Malafaia, no momento onde ele decidiu lutar contra a minha cidadania e meus direitos fundamentais enquanto pessoa pública, tenho o direito (e o dever) de me opor a sua campanha.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: