Diversidade, em todos os sentidos

Os gays e outras letras que compõe o espectro LGBT conquistaram muito nos últimos anos. Sem esquecer na escalada absurda do número de crimes de motivação homofóbica, o Brasil aprovou uma série de medidas que garante mais cidadania e dignidade a uma fatia expressiva da população brasileira, normalmente deixada a margem da sociedade.

Vitórias como a aprovação da união civil homoafetiva, convertida em casamento em alguns lugares do país, trouxe uma esperança nova aos homossexuais, que conquistaram uma gama de direitos que lhes era negado até então. A vitória também fez com que a luta pela aprovação da PLC122 (ou outro projeto futuro), que criminaliza condutas homofóbicas, voltasse a tona, acirrando ainda mais o embate ideológico com fundamentalistas religiosos fantasiados de deputados e senadores.

O problema é que nós (como movimento gay) temos construído um castelo gigante sem uma base sólida. Eu exemplifico minha afirmação com o argumento dos próprios deputados e senadores que defendem a aprovação das leis de combate a homofobia. Parte do discurso destes que defendem nossos direitos inclui o uso de expressões como “opção sexual”, “homossexualismo” e “liberdade sexual”, o que acaba disseminando velhos conceitos que deveriam estar enterrados neste debate.

Mesmo sem dados estatísticos, sei que boa parte das pessoas ainda acredita que ser homossexual é uma escolha, uma “opção sexual”, enquanto todos sabem, de uma forma ou de outra, que não há nenhuma escolha envolvida no processo de formação da orientação afetiva de alguém. A única opção possível é não viver a sexualidade em sua plenitude, vivendo de forma reprimida, seja por conta de pressão religiosa, ideológica ou social. Assim como o termo “homossexualismo”, que carrega uma carga semântica que remete a doença. Não podemos chamar de homofóbicos aqueles que nunca tiveram a oportunidade de se informar, de se educar. Não seria justo.

Enquanto nós não educarmos as pessoas, e não apenas nas escolas com programas de combate a homofobia, mas nas ruas, nas igrejas, nas empresas, sobre o que é a diversidade e como a convivência com ela é benéfica pra sociedade, não teremos avanços significativos. Precisamos ter, antes de leis, a sociedade do lado da diversidade. E isto depende de cada um dos homossexuais deste país, que podem servir de multiplicadores de informação sobre a naturalidade e simplicidade do que é ser gay: exatamente a mesma coisa do que ser hetero.

Comentários em: "Antes de leis contra homofobia, educação contra a ignorância" (2)

  1. Inicialmente parabéns pelo blog! Agora, sobre o seu texto eu concordo e acho que o maior problema, em minha opinião, é a maldita religião. Eu fico muito irado com o abuso da ‘igreja’ (quando falo ‘igreja’ me refiro à todas as religiões) dentro da estrutura política de um país que é laico! Durante discussões em sala de aula, eu cheguei a dizer que o perfeito seria: ‘se você tem religião, não pode ser político. Seria totalmente imparcial quando à essas questões’. Claro que isso constituiria outro preconceito, aliás, preconceito não, discriminação, o que é diferente – a meu ver.

    Mas, eu vejo além: eu já fui frequentador de igreja evangélica e conheço muito bem os argumentos da mesma. Mas, eles dizem em seus templos que devemos amar ao próximo como a nós mesmos. Eu queria saber, entender, o que eles sentem e/ou pensa sobre o projeto de lei de criminalização da homofobia. Ora, quem não deve não teme, e se a sua crença prega o amor, qual o medo? Vamos aguardar… Eu não sou muito ligado a essas questões porque eu acho que eu não tenho paciência o suficiente para isso, mas, acho que a senadora Marta Suplicy já fez as alterações necessárias e sobre os termos mais polêmicos e só não será aprovado mesmo se nem sei… Se não quiser mesmo.

  2. Renan disse:

    É e o kit anti -homofobia que promoveria a educação nas escolas foi banido, porque ofende a “moral e os bons costumes”….

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: