Diversidade, em todos os sentidos

Vez ou outra alguns discursos se repetem. Repetem afirmações sem fundamentação, sem embasamento teórico, sem lógica e, principalmente, sem racionalidade. Um destes discursos questiona o direito das minorias de manifestar publicamente seu orgulho de ser o que são, reivindicando pra si o mesmo direito. Durante a realização da Parada do Orgulho Gay do ano passado, em São Paulo, um grupo de ignóbeis manifestantes apareceu na Avenida Paulista com faixas e cartazes dizendo ter ‘orgulho de ser hetero’.

A discussão é antiga. Nazistas e seus pares modernos, fascistas, xenófobos, racistas e outros agrupamentos de pessoas intolerantes clamam o direito de usar camisetas com as inscrições ‘100% Branco’ ou ‘Orgulho de ser branco’, em detrimento aos manifestos do movimento negro. Estes usam roupas e adereços que remetem a seus antepassados africanos, preservam sua cultura, suas tradições e cantam pra todo canto o orgulho que tem em serem negros.

E o que garante aos negros o direito de ter orgulho de assim serem? O fato de que, na verdade, eles não têm este direito garantido. Por séculos, pessoas foram arrancadas de suas casas, de suas famílias, de seus países, jogadas nos porões de navios, atravessando um oceano para trabalhar de forma escrava em uma terra que não era deles, apenas porque a cor de sua pele não era clara como acreditavam ser a certa por seus ‘donos’. A etnia negra tem todo o direito de ter orgulho de algo que nunca tiveram: de ser quem são. Os brancos não precisam lutar por direito qualquer, porque eles já tem todos, já que nossas leis foram feitas de brancos pra brancos, de maneira geral.

A regra vale para a Comunidade LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transgêneros e Transexuais). Como nossas leis foram escritas, votadas e executadas por heterossexuais, os mesmo não têm o que reivindicar. O direito de expressão dos heterossexuais existe desde sempre, já que vivemos em uma sociedade heteronormativa, onde é ensinado e transmitido culturalmente que a heterossexualidade é a única orientação sexual ‘natural’, enquanto as demais são apenas ‘opções’ ou ‘desvios’. Não há motivo de luta por orgulho, espaço ou direitos heteros.

Assim como os negros, gays, lésbicas e afins têm de ir para o embate. Não temos direito de casar ou de se unir com nossos parceiros, não temos segurança em sair nas ruas demonstrando afeto por nossos namorados sem medo de apanhar de homofóbicos. Se formos afeminados, não temos direito de ousar em sonhar em empregos que não sejam de maquiador, cabeleireiro, estilista. Se sofrermos agressões morais ou físicas, nossos agressores não serão punidos adequadamente. Precisamos protestar, gritar, fazer greves, passeatas, caminhadas, vigílias, ações educativas, ações sociais. Precisamos ter orgulho. Orgulho de sermos gays, lésbicas, trans. Precisamos ter tanto orgulho de sermos quem somos, que um dia, não precisaremos mais gritar pra sermos ouvidos, parar avenidas para sermos vistos e para termos nossos direitos respeitados. Neste dia, teremos orgulho de sermos humanos.

Comentários em: "Quem pode ter orgulho de ter orgulho" (5)

  1. Essa é uma discussão tão cruel. É uma alegação absurda de que existe heterofobia, como se isso fosse possível numa sociedade heterocentrada, onde a heterossexualidade é divinizada como expressão do amor de Deus e a homossexualidade é tida a séculos como uma revolta a vontade Dele.Eu acho que a comparação com a situação da comunidade negra é necessária. Eles foram arrancados de suas terras? Foram escravos? A sociedade branca tem a obrigação de corrigir anos de opressão? Sim, claro.Mas e os LGBTs? O qnt essa mesma sociedade, branca, hetero, cristã, os demonizou? Quem criou a homofobia reinante? Quantos gays e lésbicas foram vítimas de terapias cruéis nas mãos de psicanalistas, médicos e afins? Qnts sofrem maus tratos da família, bullying tds os dias? Qnts morrem por serem gays? Do mesmo jeito que um dia negros não tiveram direito de votar, hj gays não tem direito de casar.São duas faces da mesma moeda.

  2. Excelente🙂 Putz, Will… nem sei o que dizer. Isso inclui até o comentário da moça acima, hehehe.

  3. Como eu já te disse meu caro amigo, concordo com você quando se trata de uma manifestação anti-LGBT. Mas dizer “orgulho de ser hetero” por si só não é ofensa nenhuma. Se queremos direito de poder expressar nosso orgulho igualmente, não podemos privar outras pessoas de ter orgulho de si mesmos. É o princípio de igualdade. Dizer que uma ou outra classe, mesmo que com objetivos dominantes, não pode se expressar é fazer o mesmo que eles fazem com a gente.E digo mais, cansei de ver gays por aí que queriam que só tivesse gay no mundo, que os heteros deveriam morrer… não é uma forma também de dominação? Acho isso muuuuito relativo e poderíamos trocar argumentos por horas sem chegar a alguma conclusão.Sou contra QUALQUER forma de opressão. Se não quero que me censurem, não devo censurar ninguém.

  4. Anonymous disse:

    – Não sou a favor de ficar chamando negro de “moreno escuro” porque as pessoas acham que um negro vai se ofender se for chamado de NEGRO. Perguntei certa vez a uma amiga se ela se ofendia em ser chama de negra ou preta e ela respondeu: Não me sinto inferior a ninguém devido a cor da minha pele. Negro que não gosta de ser chamado de negro é porque se sente inferior por não ser branco e eu não me sinto inferior a ninguém. – Acredito que a situação se aplique aqui também, Delucca. Não me sinto inferior a nenhum hetero porque ele é hetero e eu gay. E ele pode gritar que é hetero e que sente orgulho disso aos quatro ventos se quiser. Continuo me sentindo igual. – Dizer que uma manifestação de orgulho hetero é imposição de uma superioridade sobre uma minoria é me afirmar como inferior quanto minoria. E isso não sou.

  5. Delucca, mais um excelente texto, parabéns.Acho que não há o que acrescentar a tudo que tu já disseste, sobretudo depois do comentário da Lilah. Antes de passar aqui tinha lido um post no blog do @MarcosFreitas81 referente ao caso Alexandre Ivo (http://tinyurl.com/2uhoyx9) e ele é só um dentre tantos exemplos tristes de por que temos que ter orgulho de sermos gays.O Felipe Pio fez um comentário até válido, em certos termos. Até concordo que possa haver sim algum tipo de heterofobia, mas em um nível tão insignificante comparado ao que sofremos que não tem por que considerar. Quando um hétero prega a resistência ou orgulho hétero pretende apenas sufocar o movimento LGBT. Quando um gay faz isso ele o faz ciente do quão importante é tal afirmação. Há muito mais profundidade e racionalidade. Eu tenho muito orgulho de ser gay e quando o digo não faço em detrimento dos hétero sexuais. Como gays, sabemos o quanto é difícil se sentir orgulhoso numa sociedade extremamente machista, homofóbica, agressora. Quantos gays passam a vida inteira tentando fugir do rótulo, do estigma de homossexual? E isso é muito mais que medo de sofrer preconceito. Isso tem muito de não aceitação e quem não se aceita é por que não tem orgulho do que é e isso nos enfraquece diante dos outros. Nos sentirmos orgulhosamente gays é a forma mais pacífica e impositiva que temos de forçar (sim, FORÇAR) a sociedade (héteros) a nos ver como devem.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: