Diversidade, em todos os sentidos

– Tales.


Você sempre me liga quando não dá pra atender.
Você sempre desliga, parece entender.

Esses dias comprei um mapa-mundi.
Rasguei o Rio Grande do Norte,
Colei com Santa Catarina.

Os restos eu joguei fora.
Depois das coisas no lugar
em que sempre deveriam estar,
Paris, Caicó, Teresina,
Nada mais tem serventia.

Comentários em: "– Tales." (3)

  1. adorei seu mapa-mundi desconcertado…eu aqui,tu acolá, que bicho dá? belo poema!

  2. bom…deixei pro próprio Sr. Verdejar comentar primeiro…mas a Adriana foi mais rápida…Só pra dizer q um dia desses, há muito tempo atrás, fiz a mesma coisa com Brasília…Até q eu encontrei o orkut e o msn q me encurtaram as distâncias…mentira: Só deram a impressão de juntar os meus pensamentos aos Brasilienses…longe dos seus cotidianos, meu coração distante se achava mais próximo…E só uma amiga restou…!

  3. Depois… nada mais tem serventia.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: