Diversidade, em todos os sentidos

Como eu faço pra arrancar tudo de uma vez?

Como eu faço pra tirar os pequenos pedaços das raízes
que ficaram entranhadas no chão árido do meu peito?
Como eu limpo a terra, como eu me liberto de uma vez?

Tenho de matar você pra matar isso em mim?
Tenho de me matar pra matar isso em mim?

Tenho de plantar alguma outra coisa no lugar,
pra que as palavras e as sementes sumam,
e fique na parte da memória que lhes cabe?

São perguntas demais,
e dedos tocandos meus cabelos de menos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: